DA FAZENDA À GELADEIRA (FARM TO FRIDGE)

O vídeo revela a realidade dos bastidores das indústrias que exploram frangos, porcos, bois, vacas exploradas na extração de leite, galinhas exploradas na indústria de ovos, peixes e outros animais que são explorados como se fossem meros objetos.

O QUE É O ESPECISMO?

Especismo é o ato de desconsiderar os interesses de um indivíduo com base em sua espécie. O termo é usado para se referir à discriminação dos humanos contra os outros animais atribuindo valores e direitos diferentes para espécies diferentes.

De modo similar ao racismo, machismo ou a homofobia, a discriminação especista pressupõe, assim como as discriminações anteriores, que uma diferença pode ser utilizada para objetificar, açoitar, explorar, debochar, se apropriar, violentar, assassinar, violar a integridade física e psicológica do outro indivíduo apenas por que possui uma diferença do ser que o discrimina.

Com a justificativa especista, a espécie humana assassina diariamente bilhões de animais para diversos propósitos como vestuário, entretenimento, luxúria, cosmético, vivissecção, trabalho, exposição, caça, alimentação, entre outros.

Para o Especismo, um ser humano tem mais peso e importância do que qualquer outro ser, apenas por que esse outro ser não é da espécie humana, como se o fator biológico concedesse automaticamente um valor moral extra aos humanos. Já os ativistas pelos Direitos Animais (opositores do Especismo) consideram uma sociedade onde todo ser senciente (sensível e consciente) tenha seus interesses levados em consideração, em busca de uma sociedade onde toda vida tenha valor inerente a si mesma independente de suas diferenças.

E SE O ANIMAL FOSSE BEM TRATADO PODERÍAMOS USÁ-LOS PARA NOSSO BENEFÍCIO?

Não há bem-estar na vida de quem é escravo. A própria condição de ser propriedade de alguém é uma condição de imposição, de violência, contrária aos interesses individuais. É só pensar que não aceitaríamos a escravidão de um ser humano, mesmo que o "seu senhor" diga que o escravo está sendo bem tratado.

Há coisas onde não há meio termo são simplesmente certas ou erradas. Uma pratica de violência física ou abuso sexual, desde que essa tenha sido feita com mais cuidado, é correta? O uso de um animal senciente (humano ou não-humano) como escravo, mesmo que em boas condições higiênicas e alimentares, é correto? E o direito a Liberdade como fica? Certamente nenhuma dessas coisas são corretas, tanto para animais-humanos, quanto para animais não-humanos. Agora se você discorda e acha que os animais podem ser usados (devido a toda educação especista que recebeu em sua vida), estará ignorando questões científicas consolidadas, como a capacidade deles de sentir conscientemente, de sofrer e se incomodar com tais abusos, portanto, estará apoiando o holocausto animal (escravidão, tortura e morte de seres inocentes)

E as pessoas fazem exatamente isso quando consomem produtos ou serviços que são oriundos do uso e exploração dos animais, tais como produtos testados em animais ou de origem animal no vestuário, cosmético, alimentação ou ao frequentar circos, touradas, rodeios, rinhas, aquários e zoológicos.

Não caía na ideia do abate humanitário, ovos de galinhas "felizes", leite de vaca orgânica e outros discursos publicitários que só existem para te manter com a consciência tranquila ao consumir produtos de origem animal.

Pare por um minuto, olhe no espelho e pense. Reflita! Você não é uma criança para precisar de leite materno e muito menos é um bezerro para precisar tomar leite materno de uma vaca. Cada leite é ideal para sua própria espécie. Deixe o leite para os babys que realmente precisam dele. Desmame!

Você também não é nenhum gambá, raposa, guaxinim ou galinha para comer ovos. Nutricionalmente não precisamos disso e na natureza dificilmente conseguiríamos consumir ovos, pois as galinhas tratam de escondê-los, protegê-los ou consumi-los para repor nutrientes. Sim, os ovos das galinhas não existem do nada e muito menos para seu benefício. Seres humanos não são o centro do universo. Os ovos existem para gerar novos pintinhos ou para consumo da própria galinha que o botou.

Comer animais mortos e suas excreções (ovos, leite, mel, gelatina, etc) é uma ação que contribui com a violência, uma atividade nutricionalmente desnecessária e também anti-ética, uma verdadeira luxúria cultural que é contrária aos interesses animais de viverem suas vidas a seu próprio modo.

Nós, a partir do momento em que, assumirmos a responsabilidade pelas nossas ações podemos perfeitamente mudar essa triste realidade com um pouco de reflexão, um mínimo de força de vontade e principalmente atitude, podemos dar o primeiro passo, adotando o Veganismo pelos animais! #SejaVegan